Lampada - Informática Médica






Retorna à Home Page


Quem Somos?

Disciplinas

Linhas de Atuação

Fale Conosco


Serviços

EpiInfo

Pesq. Bibliográfica

Catálogo de Links

 

Projetos de Pesquisa em Pós-graduação

Imprimir

 




Representações do Professor de Medicina

Prof. Ronaldo Curi Gismondi e Prof. Mary Rangel

Este estudo - com implementação nos cursos de Pedagogia e Medicina e Mestrado/Doutorado em Educação da UFF e Pedagogia e Mestrado/Doutorado em Ciências Médicas da UERJ, no período de agosto de 1999 a dezembro de 2004, dá prosseguimento a análises de representações (com base em referentes teóricos, moscovicianos, da Psicologia Social) realizadas em sete pesquisas anteriores, sendo uma com apoio do INEP e cinco do CNPq, uma delas em nível de Pós-Doutorado, aprofundando estudos sobre a teoria de pesquisa de representação social. A pesquisa motiva-se pelo interesse de discutir o processo de ensino-aprendizagem em suas dimensões técnica, humana e político-social, a partir de elementos que se apresentam em representações do professor, formadas por alunos e professores dos cursos de Medicina da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), em aspectos básicos, gerais, aplicáveis a várias especializações. Considerando-se o interesse e oportunidade de realização do projeto, procura estender a discussão do ensino para além dos limites das especificidades do campo da Educação, estabelecendo-se confrontos e um intercâmbio de informações com a Medicina, cuja demanda (demonstrada nos exames vestibulares) evidencia o alcance e efeitos sociais da formação pela qual os professores-médicos se responsabilizam. Pode, desse modo, fortalecer e incentivar o debate do sentido e importância educacional do magistério e da preparação didático-pedagógica para o trabalho de ensinar, em todas as áreas. Esse fortalecimento se faz necessário, inclusive, tendo em vista a desqualificação social - e conceitual - do magistério como profissão. Trata-se, portanto, de uma pesquisa com ênfase em questões do cotidiano acadêmico e social que emergem da atenção à competência didática do professor-médico, entendendo-a como um dos fatores que contribuem ao enfrentamento do problema de exclusão, seja do aluno, sujeito do curso de Medicina, seja da população que dele receberá atendimento e orientação - educativa e preventiva - para a saúde seja, ainda, do magistério como profissão, em todas as áreas. Nessas situações contemplam-se, inclusive, aspectos significativos na perspectiva de direitos e deveres de cidadania. Quanto à matriz teórica do estudo de representações, formula-se na perspectiva (moscoviciana) da Psicologia Social. Nessa perspectiva, as categorias de análise são as dimensões da representação, ou seja, a atitude, a informação e campo de representação, ou imagem, que se formam na relação dos sujeitos com o "objeto": - o professor-médico. Nas dimensões da representação do professor-médico procura analisar como se expressam (na visão e expectativas dos sujeitos) as dimensões técnica, humana e político-social do processo de ensino-aprendizagem, o que significa obter elementos que, segundo a teoria de representação social (TRS), revelam o que se percebe o que se deseja de uma Didática da Medicina.Os estudos de aprofundamento da teoria de representação social, em nível de Pós-Doutorado, aplicam à pesquisa, auxiliando a discussão (e crítica) do quadro teórico e suas aplicações à educação, de modo geral, e educação médica e em saúde, de modo especial.Este projeto oferece fundamentos e referências aos seguintes subprojetos integrados de participantes da equipe de pesquisa:"Projeto político-pedagógico na escola médica", de Luciano Abreu de Miranda Pinto, " A educação médica e seu alcance na prática docente e no atendimento clínico", de Fernando Bragança, "Interfaces entre educação, arte e saúde", de Maria Cristina Peixoto, "Crise de identidade, educação e saúde", de Norma Lucia Martins Gomes, "Educação, saúde e empregabilidade", de Marco Antonio Duarte.